COMO IDENTIFICAR FALHAS NO TERMINAL DE DIREÇÃO?

O primeiro sistema de direção assistida (a palavra “assistida” significa sistema de menor esforço para o motorista) surgiu em 1876, e recebeu o nome de Fitts, o primeiro homem que instalou um sistema deste tipo num veículo. Em 1900, Robert E. Twyford fez a primeira patente de um sistema de direção assistida Mecânica (ou Manual) nos EUA, e em 1926 Francis W. Davis e George Jessup, em Waltham – Massachusetts, criaram o primeiro sistema de direção assistida Hidráulica. 

Com a necessidade de mover caminhões grandes e pesados sem ficar cansado pelo esforço, em 1951 a Chrysler Corporation criou o primeiro sistema de direção assistida hidráulica em escala industrial no modelo Chrysler Imperial, batizado de Hydraguide, mas foi somente nos anos 1970 que a direção assistida hidráulica se popularizou entre os caminhoneiros brasileiros, já que o uso da direção hidráulica reduz em até 80% o esforço do motorista em conduzir o veículo. Hoje a maioria dos veículos leves brasileiros é equipado com sistema de direção assistida hidráulica.

Em 1988 foi criada a direção assistida elétrica para veículos leves no Suzuki Cervo, com tendência Global de substituir a Hidráulica por ser mais sensível, eficiente, e reduzir o número de elementos mecânicos.

Os terminais de direção são componentes importantes do sistema de direção, responsáveis pela ligação entre as rodas e o braço axial do veículo, essenciais para a dirigibilidade e segurança do carro. Eles transmitem para as rodas os movimentos realizados pelo motorista no volante. Apesar de ser uma peça composta apenas por uma caixa, um pino esférico e uma coifa protetora, até mesmo os melhores profissionais podem encontrar dificuldades em encontrar falhas nesse sistema.

Muitas vezes o motorista chega à oficina reclamando do barulho ou falha na direção, e para saber o diagnóstico correto, vamos mostrar os detalhes sobre este dispositivo.

As falhas no Terminal de Direção

Um motorista comum, sem conhecimentos técnicos aprofundados, nota facilmente três tipos de desconfortos sensoriais:

  • Folga na Direção 
  • Ruídos
  • Vibração

Então, quando entra em uma oficina, sugere várias possibilidades de falha, como motor, falta de potência, problema nos bicos de injeção eletrônica, bomba de combustível, bobinas, velas e cabos de vela, entre muitos outros palpites.

No caso específico de ruídos anormais, é comum pensar em problemas na suspensão ou na direção, como pneus, amortecedores, rolamentos ou freio, por exemplo, pois todos eles geram ruídos, pioram a condição de dirigibilidade, e indicam um modo de falha.

Somente a análise e vistoria de um mecânico especializado pode fornecer um diagnóstico mais preciso. No caso de falha no terminal de direção, existem sintomas específicos. Os tipos de falhas associadas a este problema são, normalmente, reportados pelos motoristas quando entram nas oficinas.

De certa forma, o sistema de suspenção está diretamente ligado aos impactos no terminal de direção. Quando a suspensão absorve os impactos, forças e tensões de avarias e buracos, ela transmite estas forças, choques e vibrações ao terminal de direção de forma importante. 

Todos sabemos que as condições das vias e estradas do país são muito ruins, o que reduz drasticamente a vida útil dos componentes da suspensão. Muitos projetos de veículos desenvolvidos em países desenvolvidos, como USA, Europa e Japão, não preveem a nossa realidade. 

Portanto, fica difícil seguir à risca as orientações do Manual do Proprietário, levando-se em consideração situações tão adversas. Por este motivo, torna-se tão importante a análise e diagnóstico de um mecânico especializado e de confiança, para garantir conforto e segurança, trocando apenas as peças que realmente tem necessidade de substituição. Então, o período de troca recomendado pode variar de acordo com o trabalho a que o veículo é submetido, pois existe variação na vida útil se levarmos em conta todas as variáveis.

Detecte o modo de falha no Terminal de Direção

O Terminal de Direção faz parte do Sistema de Direção, portanto é possível confundir os sinais com falhas no terminal axial ou na caixa de direção. Um mecânico experiente costuma investigar a falha ouvindo com atenção as reclamações do motorista, e depois, inspecionar os componentes do sistema.

Um dos motivos das vibrações, ou trepidações na direção, são as folgas causadas pelo desgaste dos componentes do Terminal de Direção. Muitas vezes este diagnóstico é confundido com o mal balanceamento das rodas, que também produz sensação semelhante. Então, quando o motorista relatar trepidação no volante, principalmente quando se acelera o veículo, o mais indicado é realizar uma revisão completa na suspensão antes de fazer o balanceamento nas rodas.

Quanto às folgas no Terminal de Direção, se constatado após a inspeção, é recomendada a troca imediata das peças, evitando riscos de segurança ao veículo, melhorando o conforto, evitando que este modo de falha se propague para outros sistemas do veículo. 

O diagnóstico do modo de falha

Considerando que o mecânico é experiente e capacitado, o diagnóstico do modo de falha tem grande possibilidade de ser detectado de forma eficaz. 

A inspeção do sistema do Terminal de Direção é realizada na parte inferior do veículo, após elevação através de macaco ou elevador hidráulico. Movimenta-se a roda de um lado para o outro contar com o auxílio de outra pessoa para realizar o movimento. Para saber se há folga e a peça precisa ser substituída, é realizada uma análise do movimento radial da peça.  

Outro elemento a ser inspecionado é a coifa da junta homocinética, feita de borracha, e que deve ser substituída caso de corte ou ruptura, a fim de evitar a contaminação interna das peças móveis.

Como realizar a troca do Terminal de Direção

A troca do Terminal de Direção deve ser realizada da forma correta, então devemos seguir os seguintes passos:

  • A porca que fixa o pino na manga de eixo deve ser apertada com o torque adequado, o excesso pode quebrar o pino.
  • Checar se a contra peça está sem ferrugem e/ou deformação.
  • O número de voltas para desinstalar e remover o terminal velho deve ser igual ao número de voltas para a montagem da peça nova a fim de facilitar o alinhamento da direção.
  • Faça o alinhamento do veículo.

Somente o diagnóstico realizado da maneira correta através de um serviço confiável e de boa qualidade não é suficiente, é necessário o uso de peças originais ou de empresas que garantam a performance do sistema dentro do prazo recomendado.

Utilize estas informações ao chegar em uma oficina mecânica, isto ajudará o profissional a identificar falhas no terminal de direção de forma mais rápida e assertiva, com maior confiabilidade no serviço.

Utilize o fluido para transmissão automática Valvoline Type A ATF nos sistemas de direção hidráulica de carros, vans, SUVs, pick-ups, caminhões e ônibus.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira Outros Artigos

Confira

Você sabe como funcionam os sensores de temperatura do seu carro?

Manter a boa temperatura do motor e outros componentes mecânicos é primordial para evitar gastos…