Importância de manter a viscosidade correta dos motores

Começamos este texto com uma pergunta: qual a periodicidade da troca de óleo do motor do seu carro? Antes de responder vale levar em conta que o lubrificante é como o sangue do automóvel, fazendo uma analogia, no sentido de que tem uma função vital para uma boa saúde do conjunto.
Muita gente pode pensar que um carro que é pouco utilizado também não necessita de uma troca de óleo. Na verdade esta é uma ideia bastante equivocada. E bastante comum também, por incrível que pareça. O fato de andar muito pouco com um veículo não mantém as propriedades do óleo intactas.
Vale comentar sobre a função técnica de um óleo lubrificante. Como o nome sugere ele lubrifica o motor durante seu funcionamento reduzindo o atrito entre as peças. Isso é essencial para o funcionamento suave e sem problemas entre os diversos componentes que compõem esse universo.

Nesse sentido uma dica extremamente importante para a vida útil de um motor é simplesmente deixar o óleo esquentar, ou seja, atingir sua temperatura normal de funcionamento rodando alguns quilômetros. Sabemos que nos veículos atuais os sistemas eletrônicos monitoram tudo isso mas em alguns clássicos ainda é possível notar a presença de dois instrumentos excepcionais: manômetro de pressão de óleo e de temperatura de óleo.
O primeiro tem uma função de informar ao motorista se o lubrificante está cumprindo bem a sua função. Os valores podem variar de motor para motor, levando-se em conta se é original ou tem algum tipo de sobrealimentação. Um exemplo de marcador de pressão do óleo pode ser encontrado em modelos da Mercedes-Benz fabricados entre as décadas de 60 a 80.
O segundo instrumento, o de temperatura de óleo, é essencial pois mostra exatamente se a viscosidade escolhida pelo dono do carro está correta. Geralmente oscila bem próximo dos 100 graus. Esse monitoramento visual é bastante prazeroso para todo entusiasta automotivo.

Essa introdução toda foi justamente para falar sobre a importância da escolha da viscosidade correta para cada tipo de motor. Nesse sentido existem várias especificações que estão impressas na embalagem de cada produto.
Vamos pegar o exemplo de um lubrificante que traz a viscosidade 20W50. O significado de viscosidade nesse caso é bem interessante por que define a própria resistência que um óleo tem para circular dentro do motor e cumprir a sua função de maneira eficiente.
Nesse sentido o lubrificante de baixa viscosidade faz isso de maneira mais fácil, enquanto que e o de alta viscosidade com uma dificuldade um pouco maior. Para chegar ao produto ideal as marcas levam em conta as características técnicas do motor e seu regime ideal de funcionamento.
Voltando às siglas temos que o W significa winter, ou seja, inverno em inglês. Portanto, esse primeiro número definir a viscosidade do lubrificante para a partida a frio. Quanto menor o número mais eficiente é o lubrificante para a primeira partida da manhã. A Honda, por exemplo, utiliza o 0W20 em alguns de seus modelos.
Outra questão extremamente importante diz respeito à viscosidade utilizada. Ela não deve ser trocada quando o veículo atingir alta quilometragem, já que é isso nada tem a ver com a recomendação original do fabricante.

Portanto, mesmo veículos que circulam pouco devem fazer a troca de óleo pelo tempo. Geralmente uma vez ao ano vale a pena fazer a substituição do lubrificante e dos filtros para proteção e preservação do motor, evitando qualquer tipo de entupimento ou formação de borras internas.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira Outros Artigos

Confira

Importância de manter a viscosidade correta dos motores

Começamos este texto com uma pergunta: qual a periodicidade da troca de óleo do motor…