O QUE ESPERAR DA QUALIDADE DA NOVA GASOLINA?

gasolina-nova-no-mercado-brasileiros

Texto escrito por: Thais Roland

O assunto do momento é a nova gasolina, que terá mais rigor no controle de qualidade e promete melhor consumo, que, provavelmente, entregará mesmo, mas o que, na prática, essas novas características vão representar pras pessoas comuns?

 Primeiro vamos entender o que muda. 

Teremos mudanças na gasolina comum e também na premium. O mais importante é ressaltar que agora elas passam a ter massa específica mínima, característica que nunca foi exigida antes e tem a ver com a quantidade de substância em um determinado volume. Isso é bem bacana, mas, diz a lenda, que nossa gasolina já tinha por volta da nova exigência (que é de 715kg/m3) e que isso vai mesmo fazer diferença pra algumas gasolinas que a gente importa.

Massa específica muito baixa implica em menor conteúdo energético por litro, o que aumenta o consumo. Quem afirma é o engenheiro Everton Lopes, da SAE Brasil. Então a gasolina nova, com massa específica mínima, deve garantir melhor consumo de combustível (que vai ficar em torno de 3 a 4% de economia, alguns sites falam até em 5%, mas tenhamos parcimônia) e também menores emissões de poluentes.

Outra grande vantagem é que vai ficar um pouco mais fácil de fiscalizar a qualidade do combustível, já que agora as especificações passam a ser mais rigorosas. Só precisamos ver como é que ficam os testes. Até porque, atualmente, existe um teste regulamentado que os postos de gasolina são obrigados a fazer no combustível quando o cliente solicita.

Também temos alteração na contagem da octanagem. A partir da alteração teremos octanagem mínima de 92 na gasolina comum e 97 para o combustível premium, além de contar com um novo sistema de contagem, que está mais alinhado com os padrões internacionais (padrão RON).

Octanagem mais alta implica em melhor preservação do motor. Aqui temos um parâmetro que tem a ver com o momento em que o combustível explode dentro dos cilindros e a maior octanagem vai garantir que essa combustão ocorra mais próxima do ponto ideal, onde o pistão é impulsionado com mais força, melhorando o desempenho do motor.

Essas alterações passam a ter vigor em 03 de agosto de 2020 e, como mencionei, vão colocar nossos padrões de controle de qualidade mais alinhados com os internacionais… e também vão encarecer mais o produto. Claro, né? Não tem almoço grátis.

Aqui a gente pode contestar, espernear, se perguntar por que, já que o barril de petróleo está com cotações negativas por esse mundão afora. Mas é como é. A galera responsável coloca a “culpa” do aumento na melhoria do combustível e diz que é assim que deve ser. O lado bom é que diversos especialistas estão confiantes sobre o fato da redução no consumo compensar o aumento do preço, mas isso a gente só vai ver mesmo no bolso, na hora que começarmos a controlar os valores rodando com o novo combustível.

Vale lembrar que não estão passando a nos fornecer combustível de avião para os automóveis, viu? São modificações pequenas que implicarão mais em redução de consumo e preservação do motor que em aumento de desempenho. Então não adianta sair dando uma de Ayrton Senna por aí achando que agora seu carro vai levantar vôo. Mudar os hábitos de condução pode prejudicar muito o seu carro, tanto em termos de consumo de combustível quanto de durabilidade dos sistemas.

Uma coisa legal da gente comentar aqui, mesmo arriscando sair um pouco do tema (mas não muito), é que seu carro “aprende” a se adequar ao modo como você dirige. O módulo vai registrando seus comportamentos pra tentar refinar os mapas da injeção eletrônica em diversos regimes de atuação e, assim, otimizar o consumo. Esses dados são voláteis, e, por isso, se perdem quando a gente deixa a bateria arriar, por exemplo. Por isso que tem gente que reclama que o carro fica gastão depois que troca a bateria nessa situação.

Enfim, por que mencionei isso? Porque se você mudar os seus hábitos de condução devido ao novo combustível, esperando melhor desempenho, pode ser que você acabe matando o benefício da melhora no consumo que essas determinações trarão pesando mais o pé no acelerador. Então finge que nada aconteceu e continue guiando do mesmo jeito. Só preste mais atenção na calculadora quando encostar no posto da próxima vez.

Uma coisa que não muda com isso tudo é a quantidade de etanol na gasolina. Aí continua os famosos 27% pra gasolina comum e 25% na premium

E o problema da adulteração? Infelizmente, somos nós que temos que ficar em cima mesmo. Como eu mencionei, existe um teste que o posto de gasolina é obrigado a fazer pra comprovar a qualidade do combustível se você desconfiar e solicitar, mas existem outras medidas que eu sempre recomendo paranos protegermos um pouco mais desse tipo de problema.

Um deles é ser fiel à um posto. Escolha aquele que fica perto do seu trabalho ou da sua casa e que você consegue ver que, de vez em quando, o pessoal do controle de qualidade da bandeira do posto passa por lá para avaliar o combustível.

E sempre, sempre mesmo, peça a nota fiscal. Ela é sua única garantia no caso de algum problema. É a maneira que você tem de provar que abasteceu naquele posto e tomar alguma providência se o carro apresentar problemas em decorrência de combustível ruim. Normalmente, combustível adulterado bagunça o carro rápido. Há poucos metros de distância do posto você já deve notar um comportamento estranho do motor. Volte imediatamente ao posto e alerte sobre a situação. Se não resolver no momento, a nota fiscal garantirá o seu direito de ser ressarcido dos valores que gastar em oficina e tudo mais.

Outra coisa importante que tenho que comentar por aqui é que o fato da gasolina ficar melhor não significa que a gente pode relaxar com a manutenção ou com a qualidade dos produtos que vamos colocar no carro (como óleo lubrificante e aditivo de radiador). Uma coisa não anula a outra e continua sendo de extrema importância cuidar bem da saúde de todos os sistemas do seu automóvel para que você sinta ainda mais benefícios!

Pensa só como seu motor poderá exercer um melhor desempenho vai ficar feliz da vida com uma gasolina de melhor qualidade no tanque e você ainda dando aplicando Valvoline Advanced para lubrificar os componentes? Se o óleo já ajudava a baixar o consumo de combustível e preservar as peças do motor antes, agora, com a gasolina ajudando, vai ser uma maravilha! Seu carro, com certeza, terá um uma melhora significativa no desempenho!  

Isso sem contar o problema de LSPI que tende a ser ainda melhor gerenciado com a combinação da nova gasolina e da linha Advanced nos motores modernos, 3 cilindros turbo alimentados e com injeção direta de combustível.

Não sabe o que é LSPI? Não tem problema – Corre lá no perfil @ValvolineBrasil e confira o meu vídeo junto com a Layla, especialista de produtos Valvoline, falando justamente sobre esse problema e sobre como o lubrificante certo pode ajudar. (Link: https://www.instagram.com/p/CC6_mhin3ZE/)

Agora é só a gente esperar pra ver como vai ser a vida nova com a gasolina nova. Até nossos carros vão encarar um novo normal! Louco isso, né? Eu já estou aqui com a calculadora no jeito pra ver se teremos grandes mudanças no consumo mesmo!

E você, também está ansioso? 

Dúvidas? Deixe aqui nos comentário!  

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira Outros Artigos

Confira

Você sabe como funcionam os sensores de temperatura do seu carro?

Manter a boa temperatura do motor e outros componentes mecânicos é primordial para evitar gastos…