O QUE EU PRECISO SABER SOBRE ÓLEO LUBRIFICANTE DA MINHA MOTO?

A tecnologia está em tudo e, claro, nos óleos lubrificantes também. Antes de mais nada, é importante saber que existem os lubrificantes minerais, semi-sintéticos e sintéticos. Os minerais são baseados em petróleo e protegem bastante o motor. Os sintéticos nascem de diferentes polímeros e garantem performance extrema, para superbikes e motos que são muito exigidas. No meio deles estão os semi-sintéticos, que unem proteção com performance. 

Outro ponto importante a saber é a graduação do óleo lubrificante. O que 5W30 significa? E 10W30? A letra W representa a palavra Winter (inverno, em inglês). O número que antecede a letra indica a temperatura externa mínima (em graus Celsius) em que o óleo lubrificante terá sua viscosidade ou características mantidas, enquanto o número após a letra se refere à temperatura máxima. Ou seja, no Brasil, que não temos temperaturas severas de inverno rigoroso ou situações desérticas, fica fácil achar um lubrificante que terá plena eficiência no motor da sua moto, seja ela de pequena, média ou grande cilindrada.

As motos de pequena cilindrada podem usar óleo lubrificante mineral, pois geralmente são as que menos sofrem stress, as rotações não são muito elevadas e os custos de troca são mais baixos. Motos intermediárias podem optar pelo semi-sintético e as de alta cilindrada e que giram muito devem usar sintético (duram e custam mais, porém protegem mais também). Isso não quer dizer que você não pode usar sintético em uma moto pequena, mas como não sofrem tanto, não precisam de tanta proteção.

Além dessas informações básicas sobre óleo lubrificante, você deve saber também que dentro do motor, ele é o sangue do sistema. Para que o motor não trave, para que as peças não derretam e trabalhem de maneira correta, as peças precisam de uma lubrificação eficiente. Além disso, vedação correta para manter compressão, controle de temperatura lá dentro e até combate aos químicos presentes nos combustíveis são papéis do óleo lubrificante. O “cara” sofre e por isso tem que ser algo confiável, como os Valvoline Motorcycle 4T.

Na composição dos óleos lubrificantes, independente de serem à base de derivados de petróleo ou sintéticos, existem detergentes, aditivos e tudo que o motor da sua moto precisa para funcionar protegido. Ou seja, em qualquer um dos Valvoline Motorcycle 4T não é preciso adicionar outros produtos ou criar uma receita mágica: é colocá-los no seu motor conforme a recomendação do manual do proprietário (seja pela quilometragem rodada ou pelo tempo que foi trocado).

Dicas

Quanto menos viscosidade, mais fino é o óleo lubrificante e isso pode ser bom: motores atuais e mais modernos têm menos folga e podem trabalhar com óleo de menor viscosidade.

Além da viscosidade, a classificação API também deve ser levada em conta. Esse índice indica a capacidade do óleo lubrificante em manter suas características sob condições severas. No caso do Valvoline Motorcycle 4T, trata-se de um SL.

Não use em sua moto óleo lubrificante indicado para automóveis. Para alguns sistemas de embreagem de motos, o lubrificante errado pode prejudicar o funcionamento do conjunto.

Utilize sempre a viscosidade recomendada pelo fabricante da sua moto. Já no caso da especificação API, pode usar uma superior, porém nunca inferior.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira Outros Artigos

Confira

Você sabe como funcionam os sensores de temperatura do seu carro?

Manter a boa temperatura do motor e outros componentes mecânicos é primordial para evitar gastos…