ÓLEO LUBRIFICANTE AUTOMOTIVO É TUDO IGUAL?

Você sabia que o óleo do seu carro não é somente um óleo? Tem gente que acha que óleo automotivo é tudo igual, não importando a marca nem as especificações. Mas quem pensa assim pode se dar mal, pois o óleo errado no motor pode levar à quebra, ou como se diz, o motor irá fundir. Além de ficar sem o carro por uns 10 dias consertando na oficina, o custo poderá ser equivalente à 50 trocas de óleo e filtro, ou se preferir, 5 anos de troca de óleo e filtro. 

Basicamente o óleo lubrificante para o motor de um carro é um líquido que forma uma película que impede o contato metal com metal, evitando o atrito, o desgaste, o ruído, o aumento da temperatura, evitando a quebra das peças e a fundição do motor.

O óleo lubrificante para o motor é composto por óleo básico e um pacote de aditivos. O óleo básico vem do petróleo, e pode ser produzido de 3 formas:

  • Mineral: Produto derivado do primeiro refino do petróleo.
  • Sintético: Produto que contém moléculas de óleo básico mineral modificadas em indústria petroquímica. 
  • Semissintético: É a mistura de óleo mineral com óleo sintético, com pelo menos 10% de óleo sintético.

O pacote de aditivos serve para atacar os vilões do óleo lubrificante e melhorar a performance do motor. Os mais comuns são:

  • Antioxidante.
  • Aumentador do Índice de Viscosidade.
  • Antidesgaste.
  • Detergente/Dispersante.
  • Antiferrugem e Anticorrosivo.
  • Antiespumante.
  • Abaixador do Ponto de Fluidez.

O que devemos observar para definir a especificação de um óleo lubrificante para motor de carro?

Uma delas, como já foi mencionado, é a natureza do óleo: mineral, sintético ou semissintético. As outras duas são a viscosidade e o nível de desempenho.

Viscosidade

Como se diz, viscosidade de óleo de Motor é se o óleo é mais fino ou mais grosso e é definida pela norma SAE. Os óleos chamados de multiviscosos lubrificam bem na partida à frio, com um número seguido da letra “W, e em altas temperaturas, apenas com um número. Veja como é a demanda de óleo para motor de carro no Brasil:

  Viscosidade SAE                                                      % Total

  15W-40                                                                      33

  20W-50                                                                      24

  5W-30                                                                        20

  10W-40                                                                        8

  5W-40                                                                          6

  10W-30                                                                        3

  0W-16/0W-20/0W-30/0W-40                                       3

  5W-20/5W-50/15W-50/20W-40/25W-50/25W-60         3

  TOTAL                                                                     100

Antigamente, a cultura era de que quanto mais viscoso (grosso), melhor. Mas conforme a tecnologia foi avançando, o óleo para motor ficou cada vez menos viscoso (fino). Hoje, a maior parte das montadoras lançam veículos com viscosidade 5W-30 ou 5W-40. Já existem montadoras lançando veículos com lubrificantes de “ultra baixa viscosidade”, como 0W-20 e 0W-16. O Japão já está desenvolvendo as viscosidades 0W-12 e 0W-8. 

Nível de Desempenho

Existem 3 especificações globais de desempenho para óleo de motor, dependendo da região:

  • API da América do Norte
  • ACEA da Europa
  • ILSAC da Ásia

Especificações API e ILSAC: definem qual o lubrificante adequado para o Motor de carro, SUV, picape e van, que utilizam combustíveis gasolina, etanol, flex ou GNV. 

A API foi criada em 1919 nos USA, para atender as 3 grandes montadoras; Ford, General Motors e Chrysler, e é a mais utilizada em todo o mundo.

A ILSAC foi criada em 1992, em uma parceria entre o Japão e os USA, para atender as montadoras japonesas: Toyota, Honda, Mitsubishi, Nissan, Mazda, Daihatsu, Subaru e Suzuki, coreanas; Hyundai e KIA. e chinesas; JAC, Chery, Great Wall e Geely.

A API e a ILSAC são muito próximas, e para cada categoria há sempre um similar lançado simultaneamente em nível Global. A especificação API inicia com a letra S (Spark), e a ILSAC inicia com as letras GF (Gasoline Fuel).

As datas de lançamento da API e ILSAC similares são; SH e GF-1 em 1993, SJ e GF-2 em 1996, SL e GF-3 em 2001, SM e GF-4 em 2004, SN e GF-5 em 2010 e SP e GF-6 em 2020. Hoje a especificação mínima é API SL, ILSAC GF-3.

O API SP e o ILSAC GF-6, lançados em 2020, foram desenvolvidos para os lubrificantes Ultrabaixa Viscosidade, como 0W-20 e 0W-16. Essas viscosidades trazem um tipo de problema conhecido como LSPI, que é uma combustão anormal, na qual a mistura ar-combustível se inflama antes do previsto, causando pressões excessivas no interior dos cilindros do motor. 

Na realidade, o ILSAC GF-6 foi dividido em 2 especificações, ILSAC GF-6A, e GF-6B:

  • GF-6A: Óleo de motor que oferece economia de combustível ainda maior, com melhor proteção do motor e maior vida útil do óleo. Para viscosidades entre SAE 10W-30 até o SAE 0W-20. 
  • GF-6B: Óleos de motor que não substitui o GF-6A, ao contrário das restantes especificações, esta não será retrocompatível. Propriedades para economia de combustível (FE) apenas para ultrabaixa viscosidade (ULS) SAE 0W-16. No futuro, SAE 0W-12 e 0W-8. 

Portanto, as novas especificações API SP e ILSAC GF-6 trazem os seguintes benefícios:

  • Menor formação de borra e verniz, performance em alta temperatura contra o desgaste, proteção contra corrosão, compatibilidade com o catalisador, controle de depósito, bombeabilidade em baixa temperatura e compatibilidade com etanol E85.
  • Estabilidade a oxidação, limpeza do pistão, controle de desgaste em baixa temperatura e economia de combustível. 

Especificações ACEA: As especificações de desempenho para óleo de motor iniciam com a letra C, para carro, SUV, picape e van, que utilizam combustíveis a gasolina, etanol, flex, GNV e diesel rápido. 

  • C1
  • C2
  • C3
  • C4
  • C5

A especificação ACEA mais utilizada pelas montadoras europeias é a C3. A C5 é a mais nova, e foi desenvolvida para lubrificantes Ultrabaixa Viscosidade, como 0W-20 e 0W-16.

 Portanto, agora você já sabe, o óleo do motor do seu carro não é somente um óleo!!  Siga as orientações do Manual do Proprietário, se é mineral, semi ou sintético, a viscosidade SAE, e o desempenho API, ILSAC e/ou ACEA, pois assim você terá a confiabilidade do funcionamento do seu motor.

A escolha certa da marca do lubrificante também é importante! A Valvoline possui mais de 150 anos dedicados à inovação. Criada em 1866, é a marca de lubrificante mais antiga dos Estados Unidos. Em 1908, Henry Ford, dono da Ford Motors, utilizou o lubrificante Valvoline no Motor do Ford Modelo T, primeiro veículo produzido em série no mundo. No painel deste veículo havia uma pequena placa escrito: “Este carro possui Óleo de Motor Valvoline. Recomendamos seu uso. Não utilize outro Óleo neste carro. ” Em 1945, o óleo Valvoline é amplamente usado para lubrificar os veículos do exército dos países Aliados na 2ª Guerra Mundial. A Valvoline instalou sua primeira filial no Brasil em 1999, e desde 2018 a Usiquímica é responsável pela marca Valvoline no Brasil, seguindo todos os padrões e parcerias globais, com uma linha completa de óleos, graxas e coolants para o seu carro.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira Outros Artigos

Confira

Você sabe como funcionam os sensores de temperatura do seu carro?

Manter a boa temperatura do motor e outros componentes mecânicos é primordial para evitar gastos…